quinta-feira, 24 de julho de 2014

A Maçã

Isaac estava confortavelmente recostado sob os ramos da grande macieira enquanto se debatia com complexos cálculos matemáticos que ia anotando no seu caderno de mão. Embrenhou-se de tal forma nos estudos que nem os abomináveis insectos esvoaçantes o importunavam. Dir-se-ia que estava noutro mundo, o seu mundo.
De súbito, e sem que nada o fizesse prever, uma maçã desprende-se do seu pedúnculo indo escarrapachar-se precisamente no cocuruto da ilustre cabeça de Isaac, trazendo-o de volta à Terra.
Plaf!
«Ai caraças» bradou Isaac atónito «isto era escusado!» Esfregando a cabeleira, olhou o fruto caído com um misto de raiva e admiração. Depois iluminou-se. «Ó diacho! Então pois claro, trata-se sem dúvida da Lei da Gravitação Universal!»
Um transeunte que por ali passava testemunhou a ocorrência e ouviu a explicação. De imediato se pôs alerta. «Uma lei que faz cair coisas?»
A notícia depressa se espalhou, chegando aos ouvidos dos Homens do Poder.
«Não podemos permitir isto! É um risco demasiado grande. O governo não pode cair por causa desta lei.» «O que pensa fazer, senhor Primeiro-Ministro?» «Vamos votar a lei no Parlamento.»
Claro que houve unanimidade, ninguém gosta de cair muito menos quando se está no topo da pirâmide.
A maçã levitou-se então e de novo foi embater na cabeça de Isaac que flutuava sobre os ramos da grande macieira.